Abre o peito e chora


Serginho Meriti/ Rodrigo Leite/ Caíque

Chora, abre o peito e chora
Você pode chorar, chorar, chorar, chorar, chorar
Chora, pois quem hoje chora
Amanhã vai cantar, laiá, laiá, laiá, laiá
E quem viver verá, verá, verá, verá, verá

Mentira! Quem foi que falou
Que um homem não pode chorar?
O choro é o banho da dor
É chuva pra alma lavar
E como se fosse um rio
É claro que vai desaguar
E como um pingo d’água
Num grande oceano será
Todo mal, toda mágoa do mundo
Pro fundo do mar
Pode chorar

Pode chorar
Se a lágrima não escorrer
O pranto não pode secar
Pode chorar
O choro é a voz do sofrer
Gemendo em silêncio
Gritando bem alto
Prum novo sorriso poder despertar
Pode chorar…