No mistério do samba


Joyce Moreno

Meu samba
Que bom que é poder mergulhar
No mistério do samba
Que manda, que é o dono da minha cabeça
E me ensina a viver
Nobreza
Pisando descalça os caminhos da mãe natureza
Beleza
Certeza de quem sempre encontra maneira
De sobreviver
É, povo bamba
Nasci pela graça de Deus
Num país que tem samba
E o samba
É o grande presente que a vida me ofereceu
Saudade
Eu juro, não tenho dos sonhos nem da mocidade
Verdade
Vontade
Eu vim porque tive vontade
E o desejo bateu
Agora
Licença, perdão, minha gente
Eu preciso ir embora
O samba mandou me chamar
E tá quase na hora
Da aurora… do samba.