“Cantora valente”

25/01/2011 | Notícias

O sambista Monarco deu uma entrevista recente para a revista Veja Rio e falou sobre a versão da Maria Rita para sua música “Coração em Desalinho”, tema de abertura da novela Insensato Coração.

Olha que bonito o que ele falou sobre ela!

Como você ficou sabendo que Coração em Desalinho estava na novela?

Fiquei surpreso com esse destaque todo. Já tinha ouvido outras músicas minhas em novela, mas não na abertura. A versão da Maria Rita ficou linda, ela é uma cantora valente.

Fiquei sabendo da gravação há um mês porque meu filho, o Mauro Diniz, foi chamado para fazer o cavaquinho. No dia, eu fui com ele porque a Maria Rita queria me dar um abraço.

Como surgiu esse samba?
Originalmente, a música era uma homenagem ao Paulo da Portela, mas acabou engavetada por ser muito triste. No início da década de 80, o presidente da Unidos do Jacarezinho me procurou porque a escola estava mal das pernas e precisava de um samba bom. No dia da final, eu nem apresentei o meu porque havia outros mais animados. Originalmente, era assim: “Nossa escola vem cantando / com ternura e emoção / homenageando um bamba / que fez do samba / sua oração”. Anos mais tarde acabei fazendo um plágio de mim mesmo com a ajuda do Ratinho e virou “Numa estrada dessa vida / eu te conheci, ó flor /Vinhas tão desiludida / Malsucedida / Por um falso amor”.

"Cantora valente"

25/01/2011 | Notícias

O sambista Monarco deu uma entrevista recente para a revista Veja Rio e falou sobre a versão da Maria Rita para sua música “Coração em Desalinho”, tema de abertura da novela Insensato Coração.

Olha que bonito o que ele falou sobre ela!

Como você ficou sabendo que Coração em Desalinho estava na novela?

Fiquei surpreso com esse destaque todo. Já tinha ouvido outras músicas minhas em novela, mas não na abertura. A versão da Maria Rita ficou linda, ela é uma cantora valente.

Fiquei sabendo da gravação há um mês porque meu filho, o Mauro Diniz, foi chamado para fazer o cavaquinho. No dia, eu fui com ele porque a Maria Rita queria me dar um abraço.

Como surgiu esse samba?
Originalmente, a música era uma homenagem ao Paulo da Portela, mas acabou engavetada por ser muito triste. No início da década de 80, o presidente da Unidos do Jacarezinho me procurou porque a escola estava mal das pernas e precisava de um samba bom. No dia da final, eu nem apresentei o meu porque havia outros mais animados. Originalmente, era assim: “Nossa escola vem cantando / com ternura e emoção / homenageando um bamba / que fez do samba / sua oração”. Anos mais tarde acabei fazendo um plágio de mim mesmo com a ajuda do Ratinho e virou “Numa estrada dessa vida / eu te conheci, ó flor /Vinhas tão desiludida / Malsucedida / Por um falso amor”.